Boaventura de Sousa Santos: “A universidade pública está sob ataque em todo o mundo”

“A universidade pública está sob ataque em todo o mundo, é o alvo preferido de forças conservadoras. A universidade está sendo desafiada de vários lados e tem que se preparar para se defender”. Esse foi o alerta dado pelo professor catedrático da Universidade de Coimbra, Boaventura de Sousa Santos, na palestra As Epistemologias do Sul e a Defesa da Universidade, ministrada na noite desta terça-feira, 11, no Teatro Universitário.

Assista à entrevista exclusiva concedida pelo professor à TV Ufes

O evento marcou o encerramento da programação 21 Dias de Ativismo pelos Direitos Humanos, realizado pela Ufes desde 20 de novembro em comemoração aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, celebrado em 10 de dezembro. Na oportunidade, o professor lançou o livro Na Oficina do Sociólogo Artesão, com transcrições editadas de aulas (sobretudo aulas magistrais) que foram sendo ministradas em diferentes locais do mundo, nas quais é possível encontrar questionamentos e formulações teóricas únicas. 

A palestra do professor, pesquisador, sociólogo, filósofo, cientista social, escritor, historiador e poeta lotou o Teatro Universitário e também foi acompanhada pela internet. Em sua análise, Boaventura apontou que as universidades públicas em geral sofrem ataques de caráter econômico e ideológico, muitas vezes por não atenderem ao projeto de país pensado pelas elites. “Para as elites, as universidades são muito livres, muito críticas”, afirmou.

Transformações

Boaventura destacou que as universidades brasileiras passaram por “transformações maravilhosas nos últimos anos”, com a lei de reserva de vagas que, segundo ele, alterou o perfil da população estudantil. Mas afirmou que, agora, é necessário construir um currículo que considere autores que tenham relações com esse público.

“A universidade deve se ligar aos movimentos sociais, às organizações sociais, àqueles que precisam mais da universidade”, disse. O professor destacou ainda que é necessário reconhecer o conhecimento produzido nesses grupos: “A ciência não é o único conhecimento válido no mundo. A ideia é credibilizar esses outros conhecimentos, conhecimentos por vezes ancestrais”.

Boaventura finalizou afirmando que, ao comemorarmos os 70 anos dos direitos humanos, as universidades devem ser campeãs na defesa dos novos direitos humanos: “o direito da natureza, o direito à diversidade e o direito à memória e à história”. 

Currículo

Boaventura de Sousa Santos é professor e pesquisador, sociólogo, filósofo, cientista social, escritor, historiador e poeta. É doutor em Sociologia do Direito pela Universidade de Yale, Connecticut (EUA), professor Catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra (Portugal) e Distinguished Legal Scholar da Universidade de Wisconsin-Madison (EUA). Foi também Global Legal Scholar da Universidade de Warwick (Reino Unido) e professor visitante do Birkbeck College da Universidade de Londres. É diretor do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e coordenador científico do Observatório Permanente da Justiça Portuguesa.

 

Texto e foto: Thereza Marinho

 

Categoria: 
Destaque
Evento
Acesso à informação
Transparência Pública
Dados abertos
Prestação de contas

Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 | © Universidade Federal do Espírito Santo 2013. Todos os direitos reservados.