Em moção aprovada pelo Conselho Universitário, Ufes lamenta tragédia de Brumadinho

Em reunião realizada nessa quinta-feira, 31 de janeiro, o Conselho Universitário da Ufes aprovou moção sobre a tragédia de Brumadinho, cidade mineira atingida pelo rompimento da barragem da Mina do Córrego do Feijão, ocorrido no último dia 25. O Conselho Universitário é o órgão superior deliberativo e consultivo da Ufes em matéria de política universitária, administrativa, financeira, estudantil e de planejamento. No total, é composto por 30 membros, entre eles gestores da Universidade e representantes do corpo docente, dos servidores técnico-administrativos e dos estudantes. 

Veja o texto na íntegra:

 

MOÇÃO

UFES LAMENTA TRAGÉDIA DE BRUMADINHO

A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) lamenta profundamente a tragédia humana e ambiental resultante do rompimento da barragem com rejeitos de minério de ferro localizada na cidade de Brumadinho, Minas Gerais, operada pela empresa Vale S.A. A tragédia deixa no seu rastro, até o momento, dezenas de mortes e centenas de desaparecidos, além de incalculáveis danos ambientais. O evento acontece 3 (três) anos após o rompimento de outra barragem operada pelo mesmo grupo econômico, em cidades mineiras, que causou dezenas de mortes e danos ambientais incomensuráveis, notadamente no Rio Doce e no litoral do Espírito Santo.

Com pesar, a Ufes lamenta tamanhas perdas que o grave episódio resulta, e defende que investigações céleres, aprofundadas e transparentes acerca das causas da tragédia sejam realizadas no âmbito da Polícia e do Ministério Público, além dos órgãos que regulam a exploração mineral no Brasil. A Universidade compartilha o sentimento de tristeza e indignação manifestado pela sociedade brasileira, e de repúdio a essa reincidente calamidade, que evidencia desprezo pela vida e indiferença com o meio ambiente. Os danos irreversíveis com a perda da vida de dezenas de pessoas e o desalento de milhares de famílias provocam revolta na população brasileira.

A Ufes, por meio de seus pesquisadores que atuam em ações científicas e tecnológicas na busca de soluções de redução dos danos da tragédia de Mariana, posiciona-se de modo colaborativo, no que for possível, com as instituições de ensino superior de Minas Gerais que estão tratando da questão em diferentes níveis e com os órgãos de controle e fiscalização. A inaceitável destruição decorrente do rompimento da barragem exige ampla mobilização da sociedade brasileira no sentido de que sejam estabelecidas regras seguras para as operações no setor mineral.

O Conselho Universitário da Ufes, na Sessão Ordinária do dia 31 de janeiro de 2019, decidiu, por unanimidade, manifestar solidariedade às famílias atingidas, reivindicando que estas sejam plenamente assistidas e que as ações de recuperação ambiental sejam efetivas.

Sala das Sessões, 31 de janeiro de 2019.

REINALDO CENTODUCATTE

Conselho Universitário

Presidente

             

Categoria: 
Destaque
Acesso à informação
Transparência Pública
Dados abertos
Prestação de contas

Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 | © Universidade Federal do Espírito Santo 2013. Todos os direitos reservados.