Ufes adere à campanha de conscientização sobre o câncer de próstata

O reitor Reinaldo Centoducatte participou na manhã desta segunda-feira, 4, do hasteamento da bandeira azul, símbolo que marca a adesão da Universidade à campanha Novembro Azul, por meio da Universidade Promotora de Saúde (UPS) da Ufes. A campanha objetiva conscientizar a população para a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de próstata.

A solenidade, realizada no campus de Goiabeiras, em frente ao Teatro Universitário, contou com a presença de diretores de centros acadêmicos da Universidade, representantes da Administração Central, professores, servidores e estudantes. Além do hasteamento da bandeira, a Ufes também alterou para azul a cor da logo da Universidade nas redes sociais e aplicou o laço azul em seu portal de notícias na internet.

“O hasteamento representa a inserção da Ufes nessa causa, por meio da educação e conscientização da população, objetivando a divulgação de ações para um diagnóstico precoce da doença. Estamos participando ativamente nesse processo educativo, para sensibilizarmos a população masculina sobre a importância da realização de exames específicos necessários para o diagnóstico e tratamento do câncer de próstata o mais cedo possível”, ressalta a professora aposentada e uma das representantes da UPS da Ufes Leila Massaroni.

Já o reitor Reinaldo Centoducatte enfatizou a participação da Ufes nas campanhas educativa e de conscientização. “Mais uma vez, a Ufes participa de campanhas educativas, que são de grande importância para a sociedade brasileira, particularmente para a sociedade capixaba. É o nosso papel, a nossa obrigação, o nosso dever. Esperamos contribuir de alguma forma para a conscientização de nossa sociedade sobre câncer de próstata”, concluiu.

Índices

Segundo informações do Ministério da Saúde, o câncer de próstata é o sexto tipo mais comum no mundo e o de maior incidência nos homens. A maioria dos casos ocorre em homens com mais de 65 anos. No Brasil, é a quarta causa de morte por câncer e corresponde a 6% do total de óbitos nesse grupo.

Quando é diagnosticado e tratado no início, os riscos de mortalidade são reduzidos. Sintomas como dor lombar, problemas de ereção, dor na bacia ou joelhos e sangramento pela uretra podem ser suspeitos.

No entanto, a maioria dos cânceres de próstata não causa sintomas até que atinjam um tamanho considerável. Por isso, é importante realizar exames que possibilitem detectar a doença em seu estágio inicial. Em homens acima de 50 anos, é aconselhado realizar regularmente exames que permitam avaliar alterações na próstata, como o toque retal e a dosagem de PSA (por meio de exame de sangue).

Texto e foto: Jorge Medina
Edição: Thereza Marinho

 

Categoria: 
Destaque
Acesso à informação
Transparência Pública
Dados abertos
Prestação de contas

Av. Fernando Ferrari, 514, Goiabeiras | Vitória - ES - CEP 29075-910 | © Universidade Federal do Espírito Santo 2013. Todos os direitos reservados.